toxoplasmoseA toxoplasmose é uma doença causada por um protozoário, um microorganismo chamado Toxoplasma Gondii, que pode infectar o homem e diversas espécies animais, como cães, gatos, aves, porcos, carneiros e bovinos.

A forma mais comum de contrair a doença é pela ingestão de água e alimentos contaminados. A ingestão de carne crua ou mal passada, por exemplo, é um grande risco tanto para o homem como para os animais domésticos carnívoros, como os cães e os gatos. Por isso, não alimente seu amigão com crua ou pouco cozida. Dê preferência à ração.

Erroneamente, costuma-se atribuir aos gatos a culpa pela transmissão da toxoplasmose ao homem. No entanto, sabe-se que é bem pouco provável que os animais domésticos sejam os culpados, na maioria das vezes.

No caso do gato, o animal pode ter a doença desde o seu nascimento (assim como o homem), mas, ao contrário de outras espécies, não irá manifestar sinais clínicos. Ele só irá transmitir a doença caso tenha uma queda de resistência. Nesse caso, irá eliminar o protozoários – oocistos (‘ovos’) – pelas fezes, que demoram de 1 a 5 dias no ambiente para serem infectantes, ou seja, poderem infectar outros indivíduos. Assim, acariciar o gato e conviver com ele, mantendo o mínimo de cuidados como lavar as mãos após limpar a caixa de areia e não dormir com o animal na cama, são medidas suficientes para evitar a transmissão. Não há relatos de transmissão pela lambedura ou arranhadura do gato, o toxoplasma é eliminado pelas fezes.

Não é todo o gato que tem a toxoplasmose, muito pelo contrário. Assim, não é preciso olhar desconfiado para o seu bichano.

No caso de mulheres grávidas, não é necessário se desfazer do animal da casa, temendo a doença. Basta tomar os cuidados descritos acima, mas o maior cuidado deve ser com a ingestão de alimentos e água. A doença em mulheres gestante realmente é preocupante, pois a toxoplasmose quando contraída no primeiro trimestre da gestação, pode causar problemas ao feto.

Uma outra forma muito fácil de ter contato com a doença é através das fezes de pombos. E poucas pessoas sabem disso.

Assim, é muito fácil termos contato com o parasita causador da toxoplasmose através da ingestão de água, frutas e legumes contaminados, alimentos mal cozidos, principalmente carne, ambientes repletos de fezes de pombos, como praças, etc.. Mesmo com a grande exposição à doença, apenas um minoria desenvolve a toxoplasmose.

A pessoa ou animal contaminado pelo Toxoplasma, à excessão dos gatos, que raramente têm sintomas, apresenta febre, gânglios aumentados, sinais diversos, como órgãos aumentados e sinais neurológicos, como transtorno visual. Mas como explicado, a maioria das pessoas não desenvolve a doença, criando anti-corpos contra ela.

A Toxoplasmose pode ser tratada, se descoberta a tempo. É preciso desmistificar a culpa do gato na transmissão da doença e olharmos as outras formas de transmissão, muito mais comuns e importantes.

Silvia C. Parisi é médica veterinária, formada em São Paulo e este seu artigo foi publicado em – www.vidadecao.com.br